Pesquisar por Notícias

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Assaltantes abordaram grupo que realizava momento de oração, em Vitória de Santo Antão



Grupo de evangélicos estava indo para o monte, lugar religioso da cidade.
Foto: Reprodução TV Jornal


JC Online

Um grupo religioso foi assaltado em Vitória de Santo Antão, Zona da Mata de Pernambuco, na manhã desta sexta-feira (17). Cinco fiéis caminhavam para um momento de oração, quando o assalto foi anunciado por dois homens. Depois de recolher os pertences do grupo, os assaltantes foram surpreendidos por tiros e ambos ficaram feridos.

O caso aconteceu por volta das 5h30. Segundo uma das vítimas que estão na delegacia do município, os assaltantes observaram os fiéis indo em direção a um lugar conhecido na região como monte, para um momento de oração. Quando retornavam pelo mesmo caminho, dois homens realizaram o roubo. “Iniciamos uma campanha de oração na segunda-feira e hoje era o término. Quando chegamos ao Monte, fizemos uma oração, lemos a palavra de Deus e o homem estava do outro lado, conversando com um outro rapaz. Quando estávamos terminando a campanha, em cima do monte, ele anunciou o assalto”, contou a vítima.

Depois de terem os pertences levados pelos assaltantes, o grupo se reuniu e fez mais uma oração. “Quando ele desceu, nos reunimos e fizemos uma oração para que Deus tivesse misericórdia dele, porque ele não tinha mexido só com a gente, mas também com as coisas de Deus, porque tudo que a gente estava ali era consagrado a Deus”, disse. Minutos depois, a vítima disse ter ouvido três tiros.

Ao descer do monte, o grupo encontrou um dos homens ferido. “Eu fui até ele, disse a ele que eu o perdoava em nome de Jesus”, acrescentou a vítima. Outro homem que passava pelo local contou que viu os dois assaltantes feridos, a uma distância de aproximadamente 500m um do outro, com os celulares roubados.
Assaltante conhecido pelos evangélicos

A vítima que não quis se identificar, mas conversou com a reportagem, contou ainda que o grupo costuma fazer trabalhos sociais, voltados para pessoas envolvidas com drogas e prostituição. Por conta desses trabalhos, ela acredita que um dos assaltantes conhecia uma pessoa do grupo. “Um deles eu acredito que reconheceu um de nós. Um irmão que trabalha na madrugada, ministrando a palavra nos pontos de droga e prostituição”, disse.


Envie sugestões de pautas para rubemardejesus@gmail.com