sexta-feira, 12 de abril de 2019

Falsa grávida de quíntuplos é presa em Goiana

Falsa grávida de quíntuplosFoto: Polícia/Divulgação

A acusada confessou o crime e disse, ainda, que já praticou em outros locais. Delegacias estão sendo contatadas para saber se o golpe prejudicou outras pessoas.


Por: Maiara Melo, da Folha de Pernambuco


Uma mulher foi presa por fingir uma gravidez de quíntuplos e conseguir vantagens financeiras, assim como doações de enxoval, no município de Goiana, na Região Metropolitana do Recife.

Rinielly Oliveira da Silva foi presa na manhã dessa quinta-feira (11) e levada para a Delegacia de Polícia da 44ª Circunscrição de Goiana. O caso foi apresentado nesta sexta pelo delegado Hebert Martins.

"Algumas pessoas estavam desconfiando de uma campanha que foi feita no município de Goiana no sentido de arrecadas alimentos, roupas, berços, para uma grávida de quíntuplos e que estava grávida de cinco a seis meses", explicou.


PUBLICIDADE
Fones de ouvido barato é na Brasil Facin
Acesse www.brasilfacin.com.br/fones


Ela teria conseguido uma ultrassonografia na internet. Rinielly aplicava o golpe entre pessoas próximas e também procurou comunidades eclesiásticas para que iniciassem uma campanha em prol dela, como grávida de cinco meses e de quíntuplos, alegando não ter condições financeiras de arcar com a gravidez e cuidados com os quíntuplos.

Ela conseguiu berços, colchões, roupas e até mesmo dinheiro, que estava sendo levantado através de uma vaquinha na internet. O delegado Hebert Martins, titular da Delegacia de Goiana e quem está à frente do caso, disse que algumas pessoas lesadas denunciaram o caso.

“A sociedade se mobilizou e foi arrecada muita coisa em prol dela", contou. Ele disse que umas pessoas que doaram começaram a desconfiar e foram procurar a delegacia. "Nós instauramos um processo por estelionato e abrimos investigação nesse sentido."

Através de informações obtidas junto a Secretaria de Saúde do município, a polícia viu que não existia acompanhamento de uma grávida de quíntuplos. "Até porque esse é um fato que chama a atenção. E não havia nenhuma equipe multidisciplinar trabalhando com esse caso. Então foi um elemento a mais que nos levou a ter êxito nessa investigação."

Rinielly confessou o crime. De acordo com o delegado, foi encontrada uma entrevista que ela deu há cinco anos para uma emissora local contando a mesma história. "Encaramos isso como um modo de vida dela, de estelionatária que ela é. Ela fala que foi coagida por uma pessoa, uma mulher, que também estamos investigando, e que essa pessoa a amaldiçoou com magia negra para que ali praticasse esse crime", explicou o delegado Hebert Martins.

"A barriga dela realmente existe, é avolumada, grande. Não sei o que é, não sou o perito. Mas a barriga é grande mesmo, ela não colocava nada e mostrava a barriga para comprovar a falsa gravidez e ludibriar as pessoas."

Em um vídeo disponibilizado pela polícia, gravado antes dela ser presa, Rinielly aparece desafiando as pessoas a comprovarem a falsa gravidez e ameaça acionar a justiça por injúria.

“Eu não sou mentirosa. Eu não tenho capacidade de pegar uma ultrassonografia na internet pra fingir a gravidez. E hoje mesmo eu vou procurar a polícia para colocar na justiça por injúria”, diz, enquanto é aplaudida por outras pessoas que acreditaram na história. “Eu mesma senti os bebês mexendo”, chega a dizer uma mulher que aparece no vídeo.

A acusada confessou o crime e disse, ainda, que já praticou em outros locais. Delegacias estão sendo contatadas para saber se o golpe prejudicou outras pessoas. "Estamos falando com delegacias da Região Metropolitana e da Paraíba e em cidades vizinhas à cidade de Goiana", contou o delegado.

Outras pessoas estão envolvidas no caso e não tiveram os nomes revelados para não atrapalhar as investigações. "Estamos vendo se vão responder por participação ou coautoria do crime de estelionato. Ela, além de responder por crime de estelionato, a depender da quantidade de crimes que surjam durante a investigação, pode ser também por organização criminosa", informou o delegado.

Após os procedimentos necessários, ela foi levada para a Colônia Penal Feminina Bom Pastor, no Recife, e ficará à disposição da justiça.


Envie sugestões de pautas para rubemardejesus@gmail.com

 Loja de informática Brasil facin