quinta-feira, 31 de maio de 2018

Bancada evangélica repercute exposição sobre sexualidade e pede à Alepe nota de repúdio


Deputados criticaram, nesta quinta (31), mostra cultural realizada na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Por Ricardo Novelino, G1 PE


Deputado Cleiton Collins foi até a tribuna da Alepe, nesta quinta (31), para criticar exposição sobre sexualidade que está sendo realizada na UFPE (Foto: Ricardo Novelino/G1)



Integrantes da bancada evangélica da Alepe repercutiram, nesta quinta (31), uma exposição cultural realizada na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), no Recife, que trata de sexualidade e gênero. O primeiro vice-presidente do Legislativo, Pastor Cleiton Collins (PP), afirmou que vai solicitar à Presidência da Casa uma nota oficial de repúdio, por considerar que a mostra Tramações, em sua 2ª edição, tem conteúdo ofensivo e ataca as religiões cristãs.


De acordo com os organizadores, trata-se de uma exposição coletiva que integra uma série de ações para capacitar professoras e estudantes de licenciatura para os desafios da aproximação com a comunidade LGBTT. A mostra segue até 11 de julho, na Galeria Capibaribe, e tem entrada gratuita.


É também parte do projeto de pesquisa “Tramas na formação de professoras/es para questões de gênero e sexualidades, desenvolvida no Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística da UFPE e Programa Associado de Pós-Graduação em Artes Visuais UFPE/UFPB.


Durante a sessão ordinária, no plenário, Cleiton Collins foi até a tribuna e afirmou que a exposição tem caricaturas que atingem símbolos religiosos, como Jesus Cristo e A Bíblia.


“É uma violência e uma falta de pudor. Colocaram uma Bíblia rabiscada e a frase: 'Esta Bíblia foi concebida sem pecado'”, declarou o parlamentar.


Pastor Cleiton Collins também criticou o fato de a mostra ter censura de 14 anos. “Precisamos entender que estamos lidando com os nossos jovens. A exposição tem elementos como órgãos sexuais femininos em meio a símbolos cristãos”, disse.


Ele citou leis que tratam de liberdade de expressão e salientou a necessidade de entendimento dos limites do respeito, “Vou encaminhar um pedido para que a Assembleia se pronuncie oficialmente sobre o assunto”, afirmou.


O pronunciamento de Collins recebeu o aparte de três deputados: Presbítero Adalto Santos (PSB), Zé Maurício (PP) e Henrique Queiroz (PR). Todos fizeram declarações contrárias à exposição que está sendo realizada desde o dia 8 de maio, no Centro de Artes e Comunicação (CAC) da UFPE.



O deputado Adalto Santos declarou que é preciso fazer uma representação ao Governo do Estado para que o material exposto seja retirado. “É uma degradação moral. Usaram caricaturas e colocaram Bíblias e outros símbolos religiosos em uma instituição de ensino pública”, declarou.


O deputado Henrique Queiroz se mostrou favorável a um voto de repúdio. “As pessoas não podem aceitar pornografia que usa o nome do Senhor”, afirmou.


Zé Maurício também falou sobre os limites da liberdade de expressão. “Não sei como uma instituição de ensino pode permitir uma exposição com tamanha agressividade. “Não se pode confundir liberdade com libertinagem”, acrescentou.


O tema foi alvo de nota de repúdio de emitida pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure), no dia 28 de maio de 2018.Leia mais aqui

DIETA DE EMAGRECIMENTO COMPROVADO EM 3 SEMANAS

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *