terça-feira, 7 de março de 2017

PROGESTERONA VAGINAL REDUZ COMPLICAÇÕES DE COLO UTERINO NA GESTAÇÃO DE GÊMEOS QUE PODEM LEVAR À MORTE

Estudo realizado pelo Instituto Universitário IVI Valência e Hospital La Fé foi publicado hoje na revista científica Ultrasound in Obstetrics and Gynecology


O tratamento com progesterona vaginal reduz o risco de parto prematuro, complicações neonatais e morte do recém-nascido em mulheres com gestação gemear que tenham o colo uterino curto. Foi o que concluiu o estudo internacional com participação do Instituto Universitário IVI e Hospital La Fé de Valência publicado na revista científica Ultrasound in Obstetrics and Gynecology*.

A gestação de gêmeos aumenta entre 5 a 6 vezes o risco de parto prematuro, que podem gerar morte infantil e sequelas para a saúde do bebê. Os problemas de colo uterino curto surgem quando este processo que deve ocorrer antes do parto acontece de forma prematura ao redor do quarto ou quinto mês de gestação. “Estudos anteriores demonstraram que a progesterona administrada via vaginal reduz o risco de parto prematuro em gestações únicas, no entanto nos casos de gestações de gêmeos seu uso ainda não estava comprovado”, explica Dra. Genevieve Coelho, ginecologista especialista em reprodução humana do IVI Salvador e parte do grupo IVI, que participou da pesquisa.

Segundo os pesquisadores envolvidos no estudo que incluiu 303 gestantes de gêmeos com um colo uterino de 25mm ou menos no segundo trimestre de gestação, a administração da progesterona via vaginal em forma de óvulos ou gel, apresentou evidências sólidas da redução do risco de parto prematuro e de complicações na saúde do recém-nascido, como por exemplo os problemas respiratórios, que são bastante frequentes entre os prematuros.

O risco de parto prematuro antes da 33ª semana de gestação reduziu 31% entre as mulheres que receberam o tratamento de progesterona vaginal, enquanto a porcentagem de prematuros que tiveram problemas respiratórios baixou de 47% para 33% e a morte fetal foi reduzida de 22% a 11%. O tratamento de progesterona vaginal também apresentou uma redução de 46% da taxa de ventilação mecânica assistida.

*R. ROMERO, A. CONDE-AGUDELO, W. EL-REFAIE, L. RODE, M. L. BRIZOT, E. CETINGOZ, V. SERRA, E. DA FONSECA, M. S. ABDELHAFEZ, A. TABOR, A. PERALES, S. S. HASSAN and K. H. NICOLAIDES. Vaginal progesterone decreases preterm birth and neonatal morbidity and mortality in women with a twin gestation and a short cervix: an updated meta-analysis of individual patient data. Ultrasound in Obstetrics and Gynecology. DOI: 10.1002/uog.17397.

Sobre o IVI - RMANJ

Com sede em Valência, na Espanha, o Instituto Valenciano de Infertilidade (IVI) iniciou suas atividades em 1990. Possui mais de 70 clínicas em 13 países, incluindo Brasil, e é referência mundial em medicina reprodutiva. O grupo conta com uma Fundação, um programa de Docência e Carreira Universitária e recentemente realizou a fusão com o grupo norte-americano RMANJ elevando ainda mais sua relevância.