terça-feira, 21 de março de 2017

Prefeito interino de Ipojuca cumpre recomendação e exonera irmão de candidato a vice que recebia sem trabalhar


21/03/2017 - Prefeito interino de Ipojuca cumpriu recomendação do Ministério Público Eleitoral e exonerou, no dia 16 de março, Gentil Vasconcelos da Silva Filho do cargo de chefe de divisão da Secretaria de Infraestrutura. Segundo o que foi apurado pelo Ministério Público, ele é irmão do candidato a vice-prefeito nas Eleições Municipais 2016 João Vasconcelos da Silva e, apesar de constar da folha de pagamento do município, nunca trabalhou na Secretaria de Infraestrutura.

De acordo com a promotora de Justiça com atuação na 16ª Zona Eleitoral, Bianca Stella Azevedo, o Ministério Público Eleitoral recebeu denúncia do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) referente a um acordo entre João Vasconcelos da Silva e o candidato a prefeito pela coligação Ipojuca segue em frente, Carlos José de Santana. Segundo essa denúncia, o candidato a vice teria aceitado integrar a chapa em troca de poder indicar pessoas para ocupar cargos públicos no município de Ipojuca “sem a necessidade prestar qualquer contrapartida laboral”.

Apesar das alegações do prefeito interino Ricardo José de Souza, que disse não conhecer Gentil Vasconcelos da Silva Filho e tampouco saber onde ele estaria lotado, a promotora de Justiça Eleitoral identificou a nomeação na Portaria nº963/2017, de 2 de janeiro deste ano, subscrita pelo prefeito interino. O Ministério Público também confirmou, em consulta ao Portal da Transparência de Ipojuca, que Gentil Vasconcelos exercia o cargo de chefe de divisão, categoria CC-6, com vencimento de R$ 1.538,00.

“Pelos documentos levantados pelo Ministério Público, o referido nomeado não exerce nenhuma função na Secretaria de Infraestrutura. Além disso, em cumprimento a requisição ministerial, a Usina Trapiche SA enviou registro de empregado em nome do senhor Gentil Vasconcelos da Silva Filho, em que consta ser ele empregado da usina desde 16 de março de 1998, trabalhando em período integral e diariamente”, detalhou a promotora de Justiça no texto da recomendação.

Nova eleição – os eleitores de Ipojuca voltarão às urnas no dia 2 de abril para eleger o prefeito. O candidato mais votado no pleito de 2016, Romero Sales, teve a candidatura indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) em razão de ter sido condenado judicialmente por ato de improbidade administrativa com dano ao erário e enriquecimento ilícito. Como não houve candidato diplomado para o cargo de prefeito, o presidente da Câmara de Vereadores de Ipojuca assumiu o comando do Poder Executivo de forma provisória até a conclusão do novo processo eleitoral.(MPPE)