sábado, 30 de junho de 2018

Vírus da gripe é modificado para combater câncer no cérebro e resultados são positivos



Quando falamos de vírus, a primeira coisa que vem à mente são doenças, certo? Mas talvez seja hora de repensarmos isso, vendo que, nos últimos anos, esses seres microscópicos têm sido utilizados como "vacinas vivas", ajudando seres humanos a se imunizar contras as mais variadas enfermidades.

Além disso, eles também têm se mostrado uma ótima ferramenta no combate ao câncer – pesquisadores da Duke University, por exemplo, deram inícios a testes utilizando o PVSRIPO, uma variante "modificada" do comum vírus da gripe.

Ele foi capaz de atacar células cancerígenas no cérebro, fazendo o corpo gerar uma resposta imunológica para estas, prolongando a vida de dezenas de pacientes com câncer em estágio a

De 61 indivíduos que, de início, não obtiveram respostas ao tratamento utilizando PVSRIPO, pelo menos 21% conseguiram permanecer vivos após o período de 36 meses.

Na ocasião, o vírus artificial foi introduzido nos tumores cerebrais através de um catéter – apesar de ter, de fato, funcionado como um tratamento, ele causou alguns efeitos colaterais, como dores de cabeça e epilepsia.

Um dos pacientes também chegou a falecer durante o tratamento, o que mostra que, de fato, ele ainda precisa ser aprimorado.

O órgão regulador norte-americano FDA (Food and Drug Administration) classificou o PVSRIPO como uma terapia revolucionária para câncer no cérebro, o que pode auxiliar em sua popularização, quando a vacina estiver pronta para o uso.

A segunda fase clínica de testes está programada para ocorrer em maio de 2023.


Paulo Montenegro

VIA CNET

PUBLICIDADE
Vitória de santo Antão