terça-feira, 8 de maio de 2018

Dívidas com o banco? Aproveite o mês de maio para renegociar

Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Até o fim do mês, as instituições financeiras farão uma força-tarefa para solucionar problemas financeiros enviados pela plataforma consumidor.gov.br


Dívidas com o banco? Aproveite o mês de maio para renegociar


Se você tem alguma dívida que gostaria de renegociar com o banco, deve aproveitar essa oportunidade: durante todo o mês de maio, as instituições financeiras farão uma força-tarefa para solucionar os problemas financeiros dos clientes que enviarem as solicitações pela plataforma consumidor.gov.br. Saiba abaixo como ocorre o processo de renegociação, que está aberta para pessoas físicas e Micro Empreendedores Individuais (MEIs).


Mais de 97% dos lares brasileiros recebem água canalizadaAdquira dados de acesso

Acesse a plataforma consumidor.gov.br e clique em “Cadastrar” no canto superior direito, para receber um login e senha.


Mais de 97% dos lares brasileiros recebem água canalizadaEscolha a empresa

Selecione aqui uma instituição financeira cadastrada e formalize a solicitação de renegociação de débitos.


Mais de 97% dos lares brasileiros recebem água canalizadaTudo pronto, é só aguardar

Depois de enviar a solicitação, aguarde até 10 dias. Esse é o prazo que o banco ou instituição financeira tem para apresentar uma proposta ou resposta.


Em nota, o Ministério da Justiça destaca que, ao registrar a solicitação ou reclamação, “é importante selecionar no campo ‘Problema’ a opção ‘Dificuldade na renegociação/parcelamento de dívida’. Já no campo 'Descrição da Reclamação', deve-se relatar o problema, informando que deseja participar da ação de renegociação de dívidas”, esclarece o órgão.


Ainda segundo o ministério, após a resposta, o cidadão tem o prazo de 20 dias para avaliar se o atendimento prestado foi satisfatório ou não. “Durante esse prazo, há a possibilidade de interagir com a empresa, anexando documentos e complementando a reclamação, por exemplo”, informa o Ministério da Justiça.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do Ministério da Justiça

 Brasil Facin